Justiça suspende concurso público em Mutuípe

Foto: Ilustrativa/Reprodução/Agência Brasil

A Justiça atendeu a um pedido do Ministério Público da Bahia e determinou, nesta quarta-feira (3), que o município de Mutuípe, no Vale do Jiquiriçá, suspenda o andamento do concurso público realizado pelo Instituto Nacional de Educação e Tecnologia (Inete) para preenchimento de cargos vagos.

De acordo com a decisão, o município também não deverá homologar o concurso, nomear, dar posse ou colocar em exercício os aprovados. A determinação exige ainda que o Inete apresente a planilha de custos do concurso, informando o número de inscritos e o valor arrecadado com as taxas de inscrição.

LEIA TAMBÉM
Viatura capota durante perseguição em Mutuípe

Na ação, o promotor de Justiça Tiago Cerqueira Fonseca registrou que o Inete foi contratado pelo município por meio de dispensa de licitação, no entanto, o valor de R$ 54.450,00 apresentado na proposta, dizia respeito a um concurso para mil candidatos.

Segundo informações do próprio município, o concurso teve cerca de 3.300 inscritos. Assim, o valor arrecadado com as taxas de inscrição teria alcançado o montante de R$ 153.990,00, superando o limite de R$ 59.906,02 previsto em lei para a inexigibilidade.

Além disso, os prazos para a apresentação de propostas teriam sido “exíguos, frustrando a ampla participação de outras empresas”.

Estudantes do Vale do Jiquiriçá usam mel de cacau como herbicida

Foto: Rafael Santos/Divulgação

De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), 80% do plantio de cacau na Bahia pertence a pequenos produtores e agricultores familiares. Esse tipo de produção demanda um financiamento próprio, por isso quando problemas que afetam a feitura e qualidade do cacau surgem, as despesas da plantação são de alto impacto. 

Pensando nisso, os estudantes Bernardo Amaral, João Santos e Davi Barreto, do Colégio Estadual Antônio Felipe Evangelista Neto, localizado em Mutuípe, no Vale do Jiquiriçá, utilizaram o mel de cacau como herbicida biológico para impedir o desenvolvimento de ervas daninhas na cultura desse fruto. 

O orientador do projeto, Rafael Santos explica que o cacau é uma das principais fontes de renda da região e orgulho da comunidade. Por isso, inspirou o estudo sobre uma possível alternativa que colaborasse com os produtores, já que os danos nas plantações são uma séria preocupação financeira. “Normalmente o controle dessas ervas é caro e algumas opções de tratamento causam impactos negativos ao meio ambiente e à saúde humana. Diante disso, decidimos explorar a possibilidade do uso do mel de cacau como um pesticida biológico”.

Foto: Rafael Santos/Divulgação

Após uma revisão bibliográfica sobre as propriedades do mel de cacau e a eficácia como herbicida natural, os estudantes conduziram um levantamento de campo para identificar as espécies de ervas daninhas mais comuns nas plantações em Mutuípe. “Os resultados mostraram que o mel de cacau reduziu significativamente o crescimento das pragas e os custos de controle em 25%, comparando aos herbicidas químicos”, destaca.

De acordo com Rafael, a iniciativa é uma solução sustentável por ser orgânica e economicamente viável.  “Alguns agricultores não aproveitam o mel de cacau devido à falta de tempo, interesse ou conhecimento, mas a utilização dele reduz a necessidade de produtos químicos prejudiciais ao solo, à água e aos recursos naturais, além de ser uma alternativa de baixo custo”, diz, sobre o projeto que foi elaborado no âmbito Programa Ciência na Escola, da Secretaria da Educação (SEC).

A pedido do Coren-BA, Justiça determina retificação de edital do concurso em Mutuípe

Foto: Reprodução

O Conselho Regional de Enfermagem da Bahia (Coren-BA) obteve sucesso em um pedido contra a prefeitura de Mutuípe. A Justiça determinou, liminarmente, que o edital do processo seletivo nº 001/2024 seja retificado em até 10 dias, especialmente quanto aos valores das remunerações dos cargos de enfermeiro e técnico de enfermagem.

O edital 001/2024 da Prefeitura de Mutuípe, fixou os vencimentos em valores inferiores: R$ 4.079,44 para enfermeiros e R$ 1.412,00 para técnicos de enfermagem, ambos para uma carga horária de 40 horas semanais.

“Essa é uma vitória importantíssima para a enfermagem baiana! A decisão da Justiça reconhece o valor essencial dos profissionais da enfermagem para a saúde da nossa população”, destacou o presidente do Coren-BA, Davi Apóstolo.

Parecida com a dengue, Febre Oropouche chega a Amargosa e Santo Antônio de Jesus

Foto: Divulgação/Sesab

Saltou de 55 para 80 o número de casos de Febre Oropouche na Bahia, informou nesta terça-feira (16) a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab). A pasta intensificou as ações de investigação epidemiológica nas regiões em que houve registros da doença.

Técnicos da Vigilância Epidemiológica do Estado estão fazendo a captura do vetor, o mosquito Culicoides paraensis, conhecido como maruim ou mosquito-pólvora, para identificar se os animais estão infectados. Esse trabalho busca compreender melhor o cenário dessa doença na Bahia.

Os 80 casos foram confirmados em residentes dos municípios de Amargosa (3), Camamu (1), Gandu (3), Ibirapitanga (1), Ituberá (1), Jaguaripe (1), Laje (14), Maragogipe (1), Mutuípe (2), Piraí do Norte (1), Presidente Tancredo Neves (9), Salvador (2), Santo Antônio de Jesus (4), Taperoá (4), Teolândia (23) e Valença (10).

A diretora da Vigilância Epidemiológica do Estado, Márcia São Pedro, aponta que, desde o primeiro caso confirmado, a Sesab ficou em alerta. “Toda vez que falamos em agravo de interesse a saúde pública, um caso já é um sinal de alerta para a vigilância epidemiológica, mesmo que não haja um cenário de ameaça iminente”, afirma.

Ainda segundo Márcia São Pedro, é importante que as pessoas usem roupas compridas e façam uso de repelentes. “Ressaltamos também que não se deve deixar lixo e folhas acumulados, pois a existência destes materiais facilita a reprodução do vetor”, afirma. Ela ainda destaca que ao aparecer qualquer sintoma, a pessoa deve buscar uma unidade de saúde.

“Por ser causada por um arbovírus, a Febre Oropouche tem sintomas muito parecidos com os da dengue como febre, dor no corpo e dores nas articulações”, explica a Diretora. Não existe tratamento específico para a Febre do Oropouche, sendo o manejo clínico focado no alívio dos sintomas.

A bordo de um caiaque, geógrafo faz travessia de 4 horas no Rio Jiquiriçá

Foto: Divulgação

O geógrafo João Raphael Ribeiro Rocha realizou, sozinho, a bordo de um caiaque, a descida de Mutuípe até o município de Laje, na correnteza do Rio Jiquiriçá. A aventura ocorreu no domingo (25).

O mutuipense iniciou o trajeto na localidade conhecida como “Pela Porco”, no perímetro urbano de Mutuípe, por volta de 8h, e chegou na orla da cidade de Laje às 12h. João foi a primeira pessoa a navegar por esse trecho em um caiaque.

O geógrafo falou que já havia planejado a descida há algum tempo, porém algumas condições eram necessárias para acontecer, como a cheia recente do rio, ter equipamentos adequados e preparo físico para cumprir todo o trajeto.

“Vivenciar o percurso do Rio Jiquiriça me revelou sua grandeza e força. Passei por alguns trechos de corredeiras e também de tranquilidade em seus meandros. Não posso deixar de destacar também a tristeza de ver a degradação e a falta de mata ciliar no trecho. No mais, foi uma experiência única”, disse João.

Com informações do Tribuna do Recôncavo

Homem morre e mulher fica ferida em acidente no Vale do Jiquiriçá

Na madrugada desta quinta-feira (15), um homem morreu e uma mulher ficou ferida após um acidente de trânsito na BR-420, entre os municípios de Jiquiriçá e Mutuípe.

De acordo com informações do Forte na Notícia, o condutor de uma caminhonete teria perdido o controle da direção e acabou colidindo na ponte da Barra do Jaguaritu.

Por conta do forte impacto, o condutor João Silva Assis, de 53 anos, ficou preso às ferragens e acabou morrendo no local. Já sua esposa, Francinilda Oliveira Assis, foi socorrida por uma equipe do SAMU e encaminhada para o Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus (HRSAJ), mas seu estado de saúde não foi revelado.

O corpo da vítima fatal foi retirado do veículo pelo Corpo de Bombeiros Militar e foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT).

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi acionada e registrou a ocorrência.

Viatura capota durante perseguição em Mutuípe

Foto: Reprodução / Mídia Bahia

Uma viatura da Polícia Militar (PM) capotou, na manhã deste domingo (7), na Praça Otávio Mangabeira, em Mutuípe, no Vale do Jiquiriçá, durante perseguição a um motociclista. Dois policiais estavam no veículo e não sofreram ferimentos.

De acordo com a PM, o militares foram atrás do condutor da moto após ele realizar manobras perigosas em ruas da cidade. Durante a perseguição, a viatura teria tocado na moto e perdido o controle. O veículo militar ainda bateu em uma carreta após capotar.

O ocupante da moto tentou fugir, ao entrar em um carro, mas foi alcançado e preso. Segundo a PM, ele estava com sinais de embriaguez. O homem e a motocicleta foram levados para a delegacia de Mutuípe.

Foto: Reprodução / Mídia Bahia

Vale do Jiquiriçá, Recôncavo e Piemonte do Paraguaçu entram em aviso meteorológico de perigo; pode ocorrer chuva de granizo

Foto: Divulgação / Inmet

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) publicou nesta terça-feira (19) um aviso meteorológico de perigo que inclui o Vale do Jiquiriçá, Recôncavo e Piemonte do Paraguaçu, além de outras regiões da Bahia.

Segundo o Inmet, pode ocorrer chuva entre 30 e 60 milímetros, por hora, ou 50 e 100 milímetros, por dia. A previsão também é de ventos intensos, entre 60 e 100 quilômetros por hora. Em alguns municípios pode ocorrer chuva de granizo.

Ainda de acordo com o Inmet, a circulação atmosférica em vários níveis, combinada com a presença de um Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN) e um Sistema Frontal (SF) no Oceano Atlântico, no sul da Bahia, vai favorecer a formação de áreas de instabilidade e a ocorrência de chuva intensa.

A chuva deve atingir o sul da Bahia e depois avançar para o interior do Nordeste, afetando quase toda a região, com volume mais intenso na madrugada. Vale destacar que o período mais chuvoso pode se prolongar até sexta (22).

Moradores do Vale do Jiquiriçá relatam clarão no céu e Associação diz que meteoro foi a causa; assista

Foto: Reprodução / Redes sociais

Moradores de municípios do Vale do Jiquiriçá, a exemplo de Mutuípe, relataram terem visto um forte clarão no céu, por volta das 21h30 de domingo (17).

A luminosidade intensa foi causada pela queda de um meteoro, de aproximadamente 1,5 metro de diâmetro, na região da Chapada Diamantina. A informação foi divulgada pela Associação Paraibana de Astronomia. Câmeras de segurança de algumas casas do município de Seabra registraram o momento.

Segundo o presidente da Associação Paraibana de Astronomia, o bólido não tem ligação com a chuva Geminídas, uma das poucas chuvas intensas que são favoráveis de se observar no hemisfério sul.

Os estudos apontaram que o meteoro foi gerado pela passagem de uma rocha espacial que atingiu a Terra em alta velocidade. Quanto maior a rocha, mais luminoso é o meteoro que ela gera.

scroll to top